@pastor.rogeriogodoy   projeto2012mj7@hotmail.com     (11) 92002-9082     @PrRogerioGodoy                       

ADORAÇÃO INTERCESSÓRIA

ADORAÇÃO INTERCESSÓRIA

A Adoração Intercessória pode” mover o dedo de Deus”?

Por. Pastor Rogério Godoy

 

Como já sabido por todos, temos por mal hábito tratar adoração como sinônimo de música; e adoração é muito mais que apenas “louvor”.

Uma adoração genuína ao Pai, acontece por vários caminhos distintos; e um destes distintos caminhos, que muitos tratam como um ministério de quem não tem talento para outro, é a intercessão. Difícil é encontrar jovens nesse ministério. Fato este, não atestado na igreja que congregava, no momento da composição deste artigo;  pois lá, os três maiores ministérios da igreja – o louvor, a dança e o teatro – que são os ministérios mais populosos, muitos de seus jovens integrantes, também são do ministério de intercessão. Mas infelizmente este é um fato isolado nas igrejas nos dias de hoje. Quase nunca você vê um ministério de intercessão em um igreja; e quando se vê, não se encontra jovens entre seus membros.

Se a nossa preocupação maior, como dito cristãos, fosse realmente cumprir o propósito de Deus para nossas vidas, teríamos a intercessão como nosso ministério primeiro.  Quando esquecemos de nós mesmos para orar e lutar no mundo espiritual  pela vida de alguém, nossa vida não fica descoberta; pois é nesse momento que Deus nos cerca com seu amor. O Pai ama ao filho que se entrega por seu irmão (I Jo. 3:16)..

O intercessor se achega a Deus (Gn. 18:16-32)

Quando decidiu Deus destruir a Sodoma e Gomorra pela multiplicação de seus pecados diante dEle, Abraão se apresenta à presença de Deus por insistentes seis vezes, para clamar pelo povo dessas cidades. E cada decepção a uma condição imposta por Deus, o intercessor Abraão não se dava por vencido, e continuava a argumentar com Deus;  ele não desistiu de tentar até a chegada do fim.

O intercessor se emprega fisicamente na intercessão, e por vezes, precisa de ajuda (Ex. 17:11-12)

Na batalha de Amaleque contra o povo de Israel em Refinin, Moisés se colocou a interceder pelo povo na batalha, e batalhou com suas próprias forças; e quando percebido foi, que sozinho ele não iria aguentar, Arão e Hur o auxiliaram. Não foi Moisés que lhes mandou ajudá-lo; mas eles ao perceberem o esforço  desumano de seu líder, que se sacrificava pelo povo, decidiram por também empregarem suas forças na batalha.

 O intercessor põe sua vida em seu chamado (Ex. 32:31-32, Et. 4:16 e I Jo. 3:16)

A vida do intercessor está nas mãos de seu Senhor; e por algumas ocasiões é necessário que ele a use por amor aos seus. Temos por acomodação, lavar nossas mãos após uma simples oração pelo problema de um irmão, na intenção de não nos envolvermos em uma batalha que possivelmente teremos que correr riscos. Enquanto que um verdadeiro intercessor, ainda que conheça os riscos, não se detém por ele.

O intercessor não esmorece na oração (Dn. 10:12-13)

Aquele que intercede junto a Deus, precisa buscar entendimento diante dele, para toda e qualquer situação; e quando se colocar em oração, só parar quando a resposta vier. Existem batalhas espirituais que exigem um esforço e perseverança do intercessor, para ser vencido.  Só um verdadeiro intercessor não esmorece, independente do tempo ou esforço empregado na batalha.

O intercessor vive pelo povo e para o povo (Isaias 53)

Cristo foi nosso maior intercessor; pois  ao  se  entregar  em nosso lugar na cruz, Ele tomou sobre si toda nossa maldição e consequência do pecado de Adão. Ele se fez pecado por nós. Creio que, embora muitas palavras se encaixem na definição deste marco para nossas vidas, entre elas Obediência ou Propósito, a que melhor define essa entrega voluntária é o AMOR.

Então, a chave para mover o dedo de Deus... é o AMOR. E a intercessão é a maior expressão de amor que podemos oferecer a Deus!